quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Mar cinzento


O dia está cinzento,

as gaivotas andam sem saber para onde ir, indicisas.

Mas o mar,

sem azul e branco,

sabe o caminho,

conhece o seu destino.

É forte e belo e,

a sua força e poder

impera perante qualquer criatura...

domingo, 20 de janeiro de 2008

Sonhos...

As nossas vidas são feitas de sonhos.
A minha tem sido uma evolução de sonhos que por vezes me deixam com uma lágrima com vontade de deslizar.
Amo a vida, os verdadeiros amigos, o mundo... Depois, amo o teatro, a arte de contar histórias, tudo o que é cultura e nunca me podia esquecer aquilo de durante anos fez parte da minha vida e que tenho esperança que volte a fazer, a Música.
Aqui fica o instrumento que me consegue elevar para a luz mais brilhante e que durante 10 anos me fez sonhar e acreditar que tudo vale a pena, o CLARINETE.
Boa Semana para todos e sigam os vossos sonhos



quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

TEATRO - Uma vida, várias vidas...

Quem ama o teatro sabe crescer,
sabe que nunca tem o conhecimento total,
precisa de aprender humildemente...

Estas fotos são de uma Formação de Actores que fiz em IFICT (Instituto de Formação, Investigação e criação teatral. Foi praticamente um ano. Aqui chorámos, rimos, gritámos, sussurrámos, enfim aprendemos.
A grande responsável pela paixão que tenho pelo teatro hoje é sem dúvida a Paula Freitas, excelente actriz, excelente professora, excelente amiga.
Mas também aprendi muito e gostaria de aprender mais com o mestre que de vez em quando, surgia nas nossas aulas para nos contar histórias de vida e técnicas importantes, encenador Adolfo Gutkin.
Um grande beijinho para todos os colegas que comigo aprenderam a arte maravilhosa que é o teatro: Tui, Elsa, Nuno, Patrícia, Hugo, Paula, Ana, Andreia.

Aqui fica alguns exercicios que juntámos e construímos um pequeno espectáculo de final de curso "In Corpus".







Até breve!

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Recordar é viver








Por vezes olhamos para trás e sorrimos ao vermos que já fizemos tanto, e ainda temos tanto para fazer.
Este foi um espectáculo de teatro que fizemos durante o Curso de Biblioteca e Documentação que tirei no INETE.
Chamava-se "O espanta-pardais" de Maria Rosa Colaço, que já é uma estrela mas, que esteve presente na estreia e, com as lágrimas nos olhos, disse que nunca tinha visto nenhuma obra sua ser tão bem representada.

Para nós foi um orgulho e até fizemos uma digressão.
No final cantávamos:
..............Eles não sabem que o sonho
..............É uma constante da vida
..............Tão concreta e definida
..............Como outra coisa qualquer.

A todos os que participaram, que não foram apenas os que estão nas fotos, um grande beijinho e espero que sejam felizes...

quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Encosta-te a mim

Encostem-se e mim e apreciem a música que este artista tem para nos maravilhar...

JORGE PALMA

A escola e a amizade


No primeiro dia de aulas, a Senhora Professora pediu aos seus alunos, como forma de apresentação, que escrevessem uma frase, dizendo o que é para eles a escola.
Passado algum tempo a professora quis ouvir algumas respostas.
- Menina Maria pode ler a sua composição?
Claro senhora professora:
- “A escola para mim é muito importante, porque aprendemos muitas coisas, e como eu quero ser arqueóloga, preciso muito da escola”…
- Muito bem Maria - respondeu a professora – Então e tu Francisco, queres ler a tua?
- “A escola é um lugar muito fixe, porque podemos brincar muito, mas também aprendemos novas coisas”.
- Menina Isabel, posso ouvir o que escreveste?
- Sim – respondeu muito timidamente – “Para mim a escola não é muito importante. Eu cá preferia continuar de férias para ir à praia e brincar de manhã à noite. Mas enfim agora que aqui estou tenho que me esforçar para ter boas notas”…
Nisto a professora, reparou que ao canto da sala, estava um menino muito tímido a tentar esconder-se para não ter que ler a sua composição.
- Menino Rafael, não te escondas, queremos muito ouvir o que escreveste!
- Eu tenho vergonha, senhora professora!
- Vá Rafael, todos queremos ouvir não é meninos?
- Sim, Sim… – Responderam todos…
Rafael respirou fundo, pegou na folha escrita e leu tremendo um pouco a sua voz:
“Eu adoro a escola, não só porque foi aqui que aprendi a ler e a escrever, mas também porque foi aqui que conheci os amigos que tenho hoje, eu aprendi a partilhar o que tinha, respeitar os outros sem pensar que tudo é meu.
Mas tudo isto deve-se à Senhora professora, que com todo o amor e carinho, nos ensinou a ser crianças felizes e responsáveis… Por tudo isto muito obrigada querida professora”.
Todos aplaudiram o texto de Rafael, e a professora não conseguiu prender uma lágrima que, ao abraçar todas as crianças se soltou.
A escola é assim mesmo, uma casa onde se aprende a ler e a escrever, mas também a amar e a respeitar.



(Um conto que reflecte a importância da escola na vida de uma criança. Foi inventado por mim mas podia muito bem ser um caso real)

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Citações interessantes





Dos inúmeros livros que tenho de ler neste momento, faço-o com todo o prazer, embora por vezes o tempo seja excasso, encontro citações que que considero interessantes, como é o caso desta que se segue:



"Quando um indivíduo relê um livro que conhece, mesmo que ele seja o autor desse livro, quando ouve de novo uma sinfonia de que conhece os temas de cor, mesmo que ele seja maestro, é bem evidente que esse indivíduo não possui nunca um conhecimento tão exacto, tão minucioso, tão perfeito dessa mensagem que não colha dela nada de novo, que a mensagem lhe seja inteiramente banal; há sempre qualquer coisa a descobrir, uma informação residual a recolher; a memória do ser humano não é de molde a possuir, na sua totalidade, uma mensagem de uma certa envergadura(...)".


Abraham Moles