quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

A escola e a amizade


No primeiro dia de aulas, a Senhora Professora pediu aos seus alunos, como forma de apresentação, que escrevessem uma frase, dizendo o que é para eles a escola.
Passado algum tempo a professora quis ouvir algumas respostas.
- Menina Maria pode ler a sua composição?
Claro senhora professora:
- “A escola para mim é muito importante, porque aprendemos muitas coisas, e como eu quero ser arqueóloga, preciso muito da escola”…
- Muito bem Maria - respondeu a professora – Então e tu Francisco, queres ler a tua?
- “A escola é um lugar muito fixe, porque podemos brincar muito, mas também aprendemos novas coisas”.
- Menina Isabel, posso ouvir o que escreveste?
- Sim – respondeu muito timidamente – “Para mim a escola não é muito importante. Eu cá preferia continuar de férias para ir à praia e brincar de manhã à noite. Mas enfim agora que aqui estou tenho que me esforçar para ter boas notas”…
Nisto a professora, reparou que ao canto da sala, estava um menino muito tímido a tentar esconder-se para não ter que ler a sua composição.
- Menino Rafael, não te escondas, queremos muito ouvir o que escreveste!
- Eu tenho vergonha, senhora professora!
- Vá Rafael, todos queremos ouvir não é meninos?
- Sim, Sim… – Responderam todos…
Rafael respirou fundo, pegou na folha escrita e leu tremendo um pouco a sua voz:
“Eu adoro a escola, não só porque foi aqui que aprendi a ler e a escrever, mas também porque foi aqui que conheci os amigos que tenho hoje, eu aprendi a partilhar o que tinha, respeitar os outros sem pensar que tudo é meu.
Mas tudo isto deve-se à Senhora professora, que com todo o amor e carinho, nos ensinou a ser crianças felizes e responsáveis… Por tudo isto muito obrigada querida professora”.
Todos aplaudiram o texto de Rafael, e a professora não conseguiu prender uma lágrima que, ao abraçar todas as crianças se soltou.
A escola é assim mesmo, uma casa onde se aprende a ler e a escrever, mas também a amar e a respeitar.



(Um conto que reflecte a importância da escola na vida de uma criança. Foi inventado por mim mas podia muito bem ser um caso real)

Sem comentários: