sábado, 6 de outubro de 2007

Amália Sempre - Lágrima


Cheia de penas me deito

E com mais penas me levanto

Já me ficou no meu peito

O jeito de te querer tanto


Tenho por meu desespero

Dentro de mim o castigo

Eu digo que não te quero

E de noite sonho contigo


Se considero que um dia hei-de morrer

No desespero que tenho de te não ver

Estendo o meu xaile no chão

E deixo-me adormecer


Se eu soubesse que morrendo

Tu me havias de chorar

Por uma lágrima tua

Que alegria me deixaria matar.


Amália Rodrigues



Que descanse em paz esta diva que tanto nos encantou e que continuará para sempre nas nossas memórias.

Este é um dos meus poemas favoritos

1 comentário:

Ana Patudos disse...

Triste e profundo, mas lindo na voz dessa diva que foi Amália Rodrigues e que eu algumas vezes cantei.
Fica bem ,amiga
jinhos
Ana PAula